Monday, December 12, 2005

O País das Obviedades

O Brasil é o país das obviedades. Aqui chega-se a fazer cursos universitários no nível de pós-graduação, só para constatar o que é óbvio. Agora há pouco eu li a seguinte notícia da Agência Brasil: "A violência policial no país está fora de qualquer padrão aceitável, de acordo com a coordenadora de Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes, Sílvia Ramos. Em texto publicado no Relatório Direitos Humanos Brasil 2005, ela analisa a violência policial em três estados: Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais."

A senhora Silvia Ramos, da qual eu não sei qual é a sua formação acadêmica, e este é um dos problemas nessa área no Brasil, temos um verdadeiro batalhão de "ólogos", todo mundo - até mesmo eu! - se diz entendido em segurança pública, chegou a mais uma das conclusões óbvias, não sem primeiro propor uma série de premissas, senão erradas, que não acertam no foco do problema. Comparando o número de vítimas da Polícia dos três estado brasileiros com a polícia americana, a pesquisadora afirma que nossa polícia matou "...quase cinco vezes mais civis do que todas as polícias de todos os estados norte-americanos juntas."

Até aí morreu neves, como se costuma dizer, é mera constatação estatística dos fatos. O problema é quando se começa a estudar as sua causas. A pesquisadora fala em falta de investimentos na área de segurança (o que é verdade, mas que não é tudo, nem é o principal!), mas foge do âmago da questão, aliás, como todos os que se dizem estudiosos e pesquisadores nessa área, que evitam tocar em um assunto considerado "policiticamente incorreto".

O espaço aqui não se presta para defender uma longa tese, mas dou pequenas pistas, para aqueles que quiserem pensar no problema: Qual o pai que precisa ser mais rigoroso na educação dos filhos? O que manteve a sua autoridade paterna ou o que a perdeu? Por que seria mais fácil desempenhar a função policial nos EUA do que aqui no Brasil? Em qual situação se torna mais banal o uso da violência? Quando há o acatamento da autoridade constituída ou quando há a total afronta a ela? E nem vamos falar nos nossos graves e eternos problemas de distribuição de renda (um dos maiores problemas da segurança não é a pobreza, é a desigualdade, a má distribuição da renda!)

No Brasil pós-constituição de 1988 institui-se, principalmente entre os marginais, o lema de que "aqui no Brasil não pega nada!". Dentro dessa concepção fica difícil para qualquer um trabalhar nos órgãos de segurança. Você não acredita? Já que o pessoal gosta tanto de estatísticas, vamos a essa: de 100% dos crimes cometidos, só 5% são esclarecidos, desse número só 10% vão a julgamento e os autores são condenados, resumindo: a possibilidade de que pela prática de um ato ilícito no país "venha a dar alguma coisa para alguém é de = 5%(100) = 5; 10%(5) = 0,5%, ou seja, em letras garrafais para ficar bem claro: NO BRASIL O CRIME COMPENSA!

No comments: