Thursday, November 09, 2006

Amor e vida

Amor e vida não parecem, mas são palavras sinônimas. Estou subvertendo a gramática? É claro, a minha afirmação não é verdadeira no campo da gramática, é verdadeira numa análise sobre o significado mais amplo das duas palavras. A existência de um forte laço entre essas palavras, a interdependência entre elas, faz que uma não possa existir sem a outra. Como entender a vida sem amor?

Pode-se afirmar que a vida sem a presença do amor não é vida. Vejam que não estou qualificando, estreitando, diminuindo este amor. Falo em amor querendo significar o mais amplo significado que a palavra possa ter. Amor em todas as suas facetas e formas, que tudo é amor. A palavra amor tem sido tão mal empregada que o entendimento que se tem do seu sentido mais restrito - e que muitas pessoas pensam ser o correto! - já náo significa mais amor, significa sexo, que embora também seja importante é outra coisa.

Amar é viver. Viver sem amar é sobreviver.

1 comment:

Drica said...

Há, nos círculos religiosos de muitas crenças, um movinento no sentido de retomar o significado mais puro da palavra AMOR. Estamos no milênio do sentimento, onde os seres humanos, já capacitados intelectualmente, devem voltar sua atenção para o AMOR AO PRÓXIMO. Mas como amar ao próximo, a natureza, a vida se não amarmos a nós mesmos? Então, primeiro o auto-amor. Nos amamos e a medida que aceitamos nossas limitações e vitórias, as aceitamos também no próximo.
Beijinhos e tudo de bom!!